segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Dica de lugar e restaurante: "Colombire"

No período em que estive na Europa no ano passado, pude conhecer a maravilhosa Crans-Montana, na Suíça. A primeira impressão quando vamos chegando de carro é que você está vivenciando o filme “O Senhor dos Anéis”, uma região de vales, montanhas enormes e maravilhosas, parece um sonho! Crans-Montana é uma estação de esqui no oeste do país, na região do Valais, no coração dos Alpes Suíços. A região é muito turística, faz fronteira com a França e com a Itália, sendo este o motivo de vários imigrantes e a prática do idioma italiano, além do francês, por muitos deles.

Crans-Montana está em uma elevação a 1500m acima do nível do mar. A área de esqui de Crans é composta por 140km de pistas cobertas pelo Glacier Plaine Morte de 3000m de altitude. Subi neste glacial com o telecabine (uma espécie de bonde), imagina o medo quando eu olhava pra trás, ai “mamãe”! Rsrs.

 O município é conhecido como Montana, mas a estação foi separada em duas, por isso o nome Crans-Montana, cada um com seus habitantes. Em Crans é onde realizam os campeonatos de esqui “Crans-Montana Champs Open” durante o inverno e os torneios de golfe “Omega European Master” no verão. Montana é a um lugar mais família. Em Crans encontramos renomadas lojas de grifes internacionais, tais como Rolex, Omega, Hermés, Louis Vuitton, etc, além de hotéis alta gama, inúmeros salões de beleza, lojas de queijos , chocolates e vinhos da região, restaurantes italianos, franceses, suíços, espanhóis, dentre outros. Um centro comercial que é um encanto, me apaixonei! Em Montana encontramos lojas de artesanato, souvenirs e hotéis, pelo visto, é mais família. O povo de lá diz que muitos turistas hospedam-se em Montana e vão curtir o esporte, a gastronomia e a night em Crans.



Visão desde o apartamento, um campo de golfe particular.

Os típicos apartamentos de Crans

Avistando do apê, o Glacial da Plaine Morte

E por falar em gastronomia, descobri um delicioso prato típico suíço, a “raclette au feu de bois” no Restaurante Colombire, localizado em Aminona, no alto de Crans. O termo raclette varia do francês racler, que significa raspar. A raclette é um prato feito a base do queijo suiço típico, a base de leite de vaca cru, e sua preparação consiste em aquecer o queijo e raspá-lo no prato e para acompanhar são servidos presunto de Parma, salame, picles e batata cozida. Neste restaurante a raclette é feita no forno à lenha (traduzindo o nome) e como não poderia deixar de aprender, tive uma aula de como preparar este delicioso prato. Preparada a raclette, servimos com os acompanhamentos, e para beber, escolhi um delicioso vinho branco suiço Muscat (da uva Moscato).

 Após almoçar, aproveitei para fazer uma visita guiada ao Musée d'Alpage de Colombire  - o museu do queijo - que faz parte do restaurante, onde conheci a história e o processo de fabricação do raclette e fiz uma visita à casa-museu dos que lá habitavam há séculos atrás e praticamente viviam da pecuária.



Raclette au feu de bois

Aprendendo a fazer a raclette

Os acompanhamentos

A bela vista desde o restaurante

Musée d'Alpage de Colombire


Fotos: arquivo pessoal


Quem for à Suíça e tiver a oportunidade de viajar pelo país, não deixe de conhecer Crans-Montana ou somente ir à Crans-Montana! Seja no inverno ou no verão, esta região é um verdadeiro encanto! Se Deus quiser, em breve voltarei lá!

Restaurante Colombire: www.colombire.ch


    Para não ficarem com água na boca, adivinhem o que descobri?!  Tem raclette aqui em Brasília! Isso mesmo! Vocês poderão provar desta delícia no:
 Art Café et Chocolat, localizado na CLSW 105 Bl "C" Lj 104 – Sudoeste. Telef.: (61) 3234-0206, atendem de segunda à sabado, das 9h as 19h.        

domingo, 30 de janeiro de 2011

Linguini ao champignon!

   Domingo também é dia de massas! Massas, uma das coisas que a Itália tem de melhor!! Como  sou  descendente dos ragazzi e amante das massas, sempre que posso faço uma massa em casa, e hoje, inovei! Você também pode inovar, seja no tipo da massa ou nos molhos, hoje escolhi o linguini.  

  O linguini é uma forma de massas plana como o fettuccine e o trenette, mas restrito, como o espaguete. O nome significa "línguas pequenas" - em italiano. Originado na região de Campania,  província de Salermo, na Itália. O linguini é mais largo que o espaguete. Enquanto o espaguete tradicional acompanha pratos de carne e tomate, o linguini é frequentemente servido com frutos do mar ou pesto, mas não é proibido fazer molhos diferentes, é sempre bom invovar; e assim, hoje fugi à regra!  
  Partilho com vocês essa deliciosa receita que por sinal foi aprovadíssima: “Linguini ao champignon”! Este molho vai bem com todos os tipos de massas frescas, em particular. Inove na variedades de cogumelos desta receita. Substitua o vinho pelo caldo de frango; ou não coloque nenhum destes, se você preferir um molho mais espesso.
Linguini
  







Linguini ao champignon

500 g de massa ( 1 pacote)
2 colheres (chá) de azeite de oliva
200 g de pequenos champignons de Paris fatiados
2 dentes de alho haché (picados)
200 g de presunto haché (picado)
80 ml de vinho branco seco
300 ml de creme de leite fresco
2 colheres (sopa) de cebolinha finamente picada
queijo parmesão fresco ralado (a gosto)
Pimenta do reino em pó
Sal


  Aqueça o azeite em uma panela ou frigideira média, adicione os cogumelos, o alho e o presunto e deixe dourar ligeiramente, mexendo sempre. Despeje o vinho (com a frigideira fora do fogo) e deixe ferver até que o vinho reduza pela metade.

   Adicione o creme de leite a esta mistura e deixe ferver, com a panela descoberta, até que o molho engrosse ligeiramente. Tempere com pimenta e sal, a gosto e quando estiver pronto, desligue o fogo.


  Enquanto isso, ferva uma panela grande com água salgada e cozinhe a massa até ficar cozida a seu gosto, retire a massa da panela e escorra. Eu cozinhei por 6 minutos.

   Com o fogo da frigideira desligado, adicione a cebolinha ao molho. Despeje a massa (já cozida) na frigideira onde fez o molho, e use as pinças de macarrão para mexer delicadamente até que o molho e a massa se misturem. Feito isso, despeje a massa em um prato de servir, salpique queijo parmesão ralado e... hora de atacar! Para acompanhar, um bom vinho tinto! Rendimento: 5 pessoas.
  

     Buon appetito!

Linguini ao champignon
   
  Uma música linda para alegrar o seu domingo... "Funiculi, Funicula" na bela voz de Andrea Bocelli!








Fotos: arquivo pessoal

sábado, 29 de janeiro de 2011

Milk shake de ovomaltine e sanduíche natural!

  Chegou o fim de semana... Sábado é dia bom pra fazer compras, resolver algumas coisas que não deu fazer durante a semana, se o dia está lindo é bom pra pegar um bronze e se estiver feio.... não tem jeito! Dá aquela preguiça, não queremos sair de casa e acabamos vendo um filme sozinhos, com o (a) namorado (a) ou marido (esposa)... e para acompanhar aquele filminho... aí já pensamos numa pipoquinha, num chocolate, mas porque não fazer um lanche diferente! Com ingredientes que encontramos em casa, podemos fazer delícias, assim como o "milk shake de ovomaltine" e um "sanduíche de frango com molho de mostarda e mel.
  Mãos à obra!  

  
Milk shake de ovomaltine

4 colheres (sopa) bem cheias de ovomaltine crocante
100 ml (meio copo) de leite gelado
4 bolas de sorvete de creme

 Bata o sorvete com o leite no liquidificador até adquirir uma consistência cremosa. Acrescente o ovomaltine e bata rapidamente (ou pressione o modo pulsar). Beba em seguida, antes que os flocos crocantes se dissolvam.


Sanduíche de frango e molho de mostarda e mel

1 pão ciabatta
1 peito de frango (grelhado e temperado com sal)
queijo provolone ou parmesão fresco (ralado)
tomates secos (a gosto)
alface americana (a gosto)
rúcula (a gosto)
molho de mostarda e mel
cream cheese ou requeijão sabor cheddar 
azeite de oliva
pimenta do reino 
sal


 Corte o pão ao meio e pincele os dois lados com o cream cheese ou requeijão, acrescente o peito de frango grelhado (inteiro ou picado, como preferir), os tomate secos, as folhas de alface e rúcula, sal, pimenta em pó e finalize regando o recheio com um pouco de azeite de oliva e o molho de mostarda e mel. Salpique o sanduíche com o queijo provolone ou parmesão fresco ralado e sirva.
Se quiser uma bebiga mais light para acompanhar, opte por um suco de frutas frescas, o de morango cai muito bem! 

Bom apetite! 

Milk shake de ovomaltine




Sanduíche natural no pão ciabatta


Fotos: reprodução e arquivo pessoal

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Burritos!

    Buenas tardes!!!

  Hoje é dia de comidinha típica! Ebaaa, adooooro! E para você que aprecia a comida mexicana, aqui vai uma receita apimentadinha, deliciosa e fácil de fazer! 

  Você pode servir como entrada ou prato principal, quem sabe não se anima de fazer uma noite mexicana na tua casa! Estes burritos fiz sem o guacamole, pois não tinha abacate em casa e no mercado não encontrei. Outro dia farei com o guacamole e passo a receita pra vocês.

                      ¡ Arriba, arriba!

El mariachi - típico músico mexicano 
             


Burritos


10 tortilhas de trigo (equivale a 1 pacote, comprei prontas da marca Pulmann)
1 cebola picada  
2 tomates picados (em cubos)
250g de creme de leite fresco
1 limão pequeno
200g de carne bovina picada ou moída
2 xicaras (chá) de molho de tomate
2 xícaras (chá) de chilli (feijão mexicano)
Molho de pimenta (a gosto)
Pimenta do reino em pó (a gosto)
Ají moído (a gosto - ver foto)
Sal (a gosto)
1 pitada de cominho em pó
2 dentes de alho picado (em pequenos cubos)
Folhas de alface
Cebolinha (a gosto)

Queijo parmesão fresco ralado (para decorar)
Azeite de oliva
Óleo para cozinhar 





   Horas antes de começar cozinhe o feijão em uma panela de pressão, escorra o caldo e reserve. Aqueça o azeite em uma frigideira, acrescente ½  cebola e 1 alho picados e deixe transparentar. Logo acrescente o ají moído (comprar em mercados onde vendem especiarias), a carne e cozinhe até dourar a carne. Junte o purê de tomate, o cominho, sal, pimenta, o molho de pimente e ferva até engrossar.

Ají moído
      



   Lave as folhas de alfaces e corte chiffonade (faça um rolinho com as folhas e corte finas tiras), separe. Aos tomates cortados, acrescente a cebolinha picada, azeite de oliva, sal, pimenta, misture bem e reserve. 

   Para acompanhar é comum usar o sour cream (creme azedo); é a base de creme de leite e limão e fica uma delícia! Para prepará-lo, em um bowl (tigela de preparo) acrescente o creme de leite fresco e com um fouet (batedor manual) bater a ½ ponto (até engrossar), juntar o suco de 1 limão espremido e bater um pouco somente para que os dois ingredientes se misturem, está pronto! Reserve.

Fouet


   Com todos os recheios prontos, coloque em pequenas vasilhas na hora de servir, assim como eu fiz. Siga as instruções de como preparar as tortilhas na frigideira. É melhor servir tudo quente, com exceção da alface, dos tomates e do creme azedo. Fica a teu critério deixar os convidados se servirem ou você pode rechear os burritos e decorá-los com o queijo parmesão ralado. 

   Para beber, o indicado é a tequila, mas eu preferi para acompanhar, um vinho tinto. Ficou uma delícia, mas confesso que um pouco picante...  ¡ Ay, caramba! 

¡Buen provecho!


¡Los burritos!
      

 Fotos: reprodução e arquivo pessoal
                         

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Panna cotta de frutos vermelhos!

  Boa tarde amigos! 

  Quem me conhece sabe que sou amante dos frutos vermelhos!! Humm.... e hoje partilho com vocês esta receita m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a, a "panna cotta de frutos vermelhos"! Uma receita delicada, saborosa e muito fina! 

  Pode servir como sobremesa ou simplesmente para receber amigos no lanche da tarde. Tenho certeza que você receberá muito elogios! Você sabia que esta sobremesa é  típica italiana significa "creme cozido"?! Isso mesmo! E você pode variar o acompanhamento, fazer uma calda de chocolate amargo, café ou o sabor que a sua imaginação permitir. 

    Então vamos lá, mãos à obra!







                 


Panna cotta de frutos vermelhos


500 g de frutas misturadas a gosto ( amoras, framboesas, morangos, mirtilos)
500 ml de creme de leite
300 ml de leite 
1 fava de baunilha 
150 g de açúcar 
4 folhas de gelatina ou 12 g  
100 ml de creme de cassis 










Hidrate a gelatina em uma tigela com água fria. Ferver por 5 minutos o creme de leite em uma panela com a fava de baunilha raspada (longitudinalmente). Despeje o leite e 120 g de açúcar e deixe ferver por 5 minutos. “Exprema” a gelatina com as mãos para retirar o excesso de água e acrescente ao creme (preparado acima) fora do fogo, mexendo delicadamente.

Filtre a  preparação, passando por uma peneira e despeje em 6 forminhas (de inox, alumínio ou moldes de silicone) passadas debaixo de água fria, sem secar. Leve à geladeira por  12 horas. Enquanto  isso, coloque as frutas congeladas (guarde algumas para decoração) em uma panela com os 30 g de açúcar restantes e cozinhe por cerca de 10 minutos em fogo alto. Despeje em um bowl (tigela de preparo), deixe esfriar, acrescente o creme de cassis, misture, tampe e reserve.

Para desenformar a panna cotta, mergulhe as forminhas dentro de alguns instantes em bowl com água morna. Para servir, decore com as frutas reservadas e a calda (frutas maceradas) de acompanhamento. 


Buon appetito!

Panna cotta de frutos vermelhos
       


Fotos: reprodução

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Dica de lugar e restaurante: "Colombire"

No período em que estive na Europa no ano passado, pude conhecer a maravilhosa Crans-Montana, na Suíça. A primeira impressão quando vamos chegando de carro é que você está vivenciando o filme “O Senhor dos Anéis”, uma região de vales, montanhas enormes e maravilhosas, parece um sonho! Crans-Montana é uma estação de esqui no oeste do país, na região do Valais, no coração dos Alpes Suíços. A região é muito turística, faz fronteira com a França e com a Itália, sendo este o motivo de vários imigrantes e a prática do idioma italiano, além do francês, por muitos deles.

Crans-Montana está em uma elevação a 1500m acima do nível do mar. A área de esqui de Crans é composta por 140km de pistas cobertas pelo Glacier Plaine Morte de 3000m de altitude. Subi neste glacial com o telecabine (uma espécie de bonde), imagina o medo quando eu olhava pra trás, ai “mamãe”! Rsrs.

 O município é conhecido como Montana, mas a estação foi separada em duas, por isso o nome Crans-Montana, cada um com seus habitantes. Em Crans é onde realizam os campeonatos de esqui “Crans-Montana Champs Open” durante o inverno e os torneios de golfe “Omega European Master” no verão. Montana é a um lugar mais família. Em Crans encontramos renomadas lojas de grifes internacionais, tais como Rolex, Omega, Hermés, Louis Vuitton, etc, além de hotéis alta gama, inúmeros salões de beleza, lojas de queijos , chocolates e vinhos da região, restaurantes italianos, franceses, suíços, espanhóis, dentre outros. Um centro comercial que é um encanto, me apaixonei! Em Montana encontramos lojas de artesanato, souvenirs e hotéis, pelo visto, é mais família. O povo de lá diz que muitos turistas hospedam-se em Montana e vão curtir o esporte, a gastronomia e a night em Crans.



Visão desde o apartamento, um campo de golfe particular.

Os típicos apartamentos de Crans

Avistando do apê, o Glacial da Plaine Morte

E por falar em gastronomia, descobri um delicioso prato típico suíço, a “raclette au feu de bois” no Restaurante Colombire, localizado em Aminona, no alto de Crans. O termo raclette varia do francês racler, que significa raspar. A raclette é um prato feito a base do queijo suiço típico, a base de leite de vaca cru, e sua preparação consiste em aquecer o queijo e raspá-lo no prato e para acompanhar são servidos presunto de Parma, salame, picles e batata cozida. Neste restaurante a raclette é feita no forno à lenha (traduzindo o nome) e como não poderia deixar de aprender, tive uma aula de como preparar este delicioso prato. Preparada a raclette, servimos com os acompanhamentos, e para beber, escolhi um delicioso vinho branco suiço Muscat (da uva Moscato).

 Após almoçar, aproveitei para fazer uma visita guiada ao Musée d'Alpage de Colombire  - o museu do queijo - que faz parte do restaurante, onde conheci a história e o processo de fabricação do raclette e fiz uma visita à casa-museu dos que lá habitavam há séculos atrás e praticamente viviam da pecuária.



Raclette au feu de bois

Aprendendo a fazer a raclette

Os acompanhamentos

A bela vista desde o restaurante

Musée d'Alpage de Colombire


Fotos: arquivo pessoal


Quem for à Suíça e tiver a oportunidade de viajar pelo país, não deixe de conhecer Crans-Montana ou somente ir à Crans-Montana! Seja no inverno ou no verão, esta região é um verdadeiro encanto! Se Deus quiser, em breve voltarei lá!

Restaurante Colombire: www.colombire.ch


    Para não ficarem com água na boca, adivinhem o que descobri?!  Tem raclette aqui em Brasília! Isso mesmo! Vocês poderão provar desta delícia no:
 Art Café et Chocolat, localizado na CLSW 105 Bl "C" Lj 104 – Sudoeste. Telef.: (61) 3234-0206, atendem de segunda à sabado, das 9h as 19h.        

domingo, 30 de janeiro de 2011

Linguini ao champignon!

   Domingo também é dia de massas! Massas, uma das coisas que a Itália tem de melhor!! Como  sou  descendente dos ragazzi e amante das massas, sempre que posso faço uma massa em casa, e hoje, inovei! Você também pode inovar, seja no tipo da massa ou nos molhos, hoje escolhi o linguini.  

  O linguini é uma forma de massas plana como o fettuccine e o trenette, mas restrito, como o espaguete. O nome significa "línguas pequenas" - em italiano. Originado na região de Campania,  província de Salermo, na Itália. O linguini é mais largo que o espaguete. Enquanto o espaguete tradicional acompanha pratos de carne e tomate, o linguini é frequentemente servido com frutos do mar ou pesto, mas não é proibido fazer molhos diferentes, é sempre bom invovar; e assim, hoje fugi à regra!  
  Partilho com vocês essa deliciosa receita que por sinal foi aprovadíssima: “Linguini ao champignon”! Este molho vai bem com todos os tipos de massas frescas, em particular. Inove na variedades de cogumelos desta receita. Substitua o vinho pelo caldo de frango; ou não coloque nenhum destes, se você preferir um molho mais espesso.
Linguini
  







Linguini ao champignon

500 g de massa ( 1 pacote)
2 colheres (chá) de azeite de oliva
200 g de pequenos champignons de Paris fatiados
2 dentes de alho haché (picados)
200 g de presunto haché (picado)
80 ml de vinho branco seco
300 ml de creme de leite fresco
2 colheres (sopa) de cebolinha finamente picada
queijo parmesão fresco ralado (a gosto)
Pimenta do reino em pó
Sal


  Aqueça o azeite em uma panela ou frigideira média, adicione os cogumelos, o alho e o presunto e deixe dourar ligeiramente, mexendo sempre. Despeje o vinho (com a frigideira fora do fogo) e deixe ferver até que o vinho reduza pela metade.

   Adicione o creme de leite a esta mistura e deixe ferver, com a panela descoberta, até que o molho engrosse ligeiramente. Tempere com pimenta e sal, a gosto e quando estiver pronto, desligue o fogo.


  Enquanto isso, ferva uma panela grande com água salgada e cozinhe a massa até ficar cozida a seu gosto, retire a massa da panela e escorra. Eu cozinhei por 6 minutos.

   Com o fogo da frigideira desligado, adicione a cebolinha ao molho. Despeje a massa (já cozida) na frigideira onde fez o molho, e use as pinças de macarrão para mexer delicadamente até que o molho e a massa se misturem. Feito isso, despeje a massa em um prato de servir, salpique queijo parmesão ralado e... hora de atacar! Para acompanhar, um bom vinho tinto! Rendimento: 5 pessoas.
  

     Buon appetito!

Linguini ao champignon
   
  Uma música linda para alegrar o seu domingo... "Funiculi, Funicula" na bela voz de Andrea Bocelli!








Fotos: arquivo pessoal

sábado, 29 de janeiro de 2011

Milk shake de ovomaltine e sanduíche natural!

  Chegou o fim de semana... Sábado é dia bom pra fazer compras, resolver algumas coisas que não deu fazer durante a semana, se o dia está lindo é bom pra pegar um bronze e se estiver feio.... não tem jeito! Dá aquela preguiça, não queremos sair de casa e acabamos vendo um filme sozinhos, com o (a) namorado (a) ou marido (esposa)... e para acompanhar aquele filminho... aí já pensamos numa pipoquinha, num chocolate, mas porque não fazer um lanche diferente! Com ingredientes que encontramos em casa, podemos fazer delícias, assim como o "milk shake de ovomaltine" e um "sanduíche de frango com molho de mostarda e mel.
  Mãos à obra!  

  
Milk shake de ovomaltine

4 colheres (sopa) bem cheias de ovomaltine crocante
100 ml (meio copo) de leite gelado
4 bolas de sorvete de creme

 Bata o sorvete com o leite no liquidificador até adquirir uma consistência cremosa. Acrescente o ovomaltine e bata rapidamente (ou pressione o modo pulsar). Beba em seguida, antes que os flocos crocantes se dissolvam.


Sanduíche de frango e molho de mostarda e mel

1 pão ciabatta
1 peito de frango (grelhado e temperado com sal)
queijo provolone ou parmesão fresco (ralado)
tomates secos (a gosto)
alface americana (a gosto)
rúcula (a gosto)
molho de mostarda e mel
cream cheese ou requeijão sabor cheddar 
azeite de oliva
pimenta do reino 
sal


 Corte o pão ao meio e pincele os dois lados com o cream cheese ou requeijão, acrescente o peito de frango grelhado (inteiro ou picado, como preferir), os tomate secos, as folhas de alface e rúcula, sal, pimenta em pó e finalize regando o recheio com um pouco de azeite de oliva e o molho de mostarda e mel. Salpique o sanduíche com o queijo provolone ou parmesão fresco ralado e sirva.
Se quiser uma bebiga mais light para acompanhar, opte por um suco de frutas frescas, o de morango cai muito bem! 

Bom apetite! 

Milk shake de ovomaltine




Sanduíche natural no pão ciabatta


Fotos: reprodução e arquivo pessoal

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Burritos!

    Buenas tardes!!!

  Hoje é dia de comidinha típica! Ebaaa, adooooro! E para você que aprecia a comida mexicana, aqui vai uma receita apimentadinha, deliciosa e fácil de fazer! 

  Você pode servir como entrada ou prato principal, quem sabe não se anima de fazer uma noite mexicana na tua casa! Estes burritos fiz sem o guacamole, pois não tinha abacate em casa e no mercado não encontrei. Outro dia farei com o guacamole e passo a receita pra vocês.

                      ¡ Arriba, arriba!

El mariachi - típico músico mexicano 
             


Burritos


10 tortilhas de trigo (equivale a 1 pacote, comprei prontas da marca Pulmann)
1 cebola picada  
2 tomates picados (em cubos)
250g de creme de leite fresco
1 limão pequeno
200g de carne bovina picada ou moída
2 xicaras (chá) de molho de tomate
2 xícaras (chá) de chilli (feijão mexicano)
Molho de pimenta (a gosto)
Pimenta do reino em pó (a gosto)
Ají moído (a gosto - ver foto)
Sal (a gosto)
1 pitada de cominho em pó
2 dentes de alho picado (em pequenos cubos)
Folhas de alface
Cebolinha (a gosto)

Queijo parmesão fresco ralado (para decorar)
Azeite de oliva
Óleo para cozinhar 





   Horas antes de começar cozinhe o feijão em uma panela de pressão, escorra o caldo e reserve. Aqueça o azeite em uma frigideira, acrescente ½  cebola e 1 alho picados e deixe transparentar. Logo acrescente o ají moído (comprar em mercados onde vendem especiarias), a carne e cozinhe até dourar a carne. Junte o purê de tomate, o cominho, sal, pimenta, o molho de pimente e ferva até engrossar.

Ají moído
      



   Lave as folhas de alfaces e corte chiffonade (faça um rolinho com as folhas e corte finas tiras), separe. Aos tomates cortados, acrescente a cebolinha picada, azeite de oliva, sal, pimenta, misture bem e reserve. 

   Para acompanhar é comum usar o sour cream (creme azedo); é a base de creme de leite e limão e fica uma delícia! Para prepará-lo, em um bowl (tigela de preparo) acrescente o creme de leite fresco e com um fouet (batedor manual) bater a ½ ponto (até engrossar), juntar o suco de 1 limão espremido e bater um pouco somente para que os dois ingredientes se misturem, está pronto! Reserve.

Fouet


   Com todos os recheios prontos, coloque em pequenas vasilhas na hora de servir, assim como eu fiz. Siga as instruções de como preparar as tortilhas na frigideira. É melhor servir tudo quente, com exceção da alface, dos tomates e do creme azedo. Fica a teu critério deixar os convidados se servirem ou você pode rechear os burritos e decorá-los com o queijo parmesão ralado. 

   Para beber, o indicado é a tequila, mas eu preferi para acompanhar, um vinho tinto. Ficou uma delícia, mas confesso que um pouco picante...  ¡ Ay, caramba! 

¡Buen provecho!


¡Los burritos!
      

 Fotos: reprodução e arquivo pessoal
                         

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Panna cotta de frutos vermelhos!

  Boa tarde amigos! 

  Quem me conhece sabe que sou amante dos frutos vermelhos!! Humm.... e hoje partilho com vocês esta receita m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a, a "panna cotta de frutos vermelhos"! Uma receita delicada, saborosa e muito fina! 

  Pode servir como sobremesa ou simplesmente para receber amigos no lanche da tarde. Tenho certeza que você receberá muito elogios! Você sabia que esta sobremesa é  típica italiana significa "creme cozido"?! Isso mesmo! E você pode variar o acompanhamento, fazer uma calda de chocolate amargo, café ou o sabor que a sua imaginação permitir. 

    Então vamos lá, mãos à obra!







                 


Panna cotta de frutos vermelhos


500 g de frutas misturadas a gosto ( amoras, framboesas, morangos, mirtilos)
500 ml de creme de leite
300 ml de leite 
1 fava de baunilha 
150 g de açúcar 
4 folhas de gelatina ou 12 g  
100 ml de creme de cassis 










Hidrate a gelatina em uma tigela com água fria. Ferver por 5 minutos o creme de leite em uma panela com a fava de baunilha raspada (longitudinalmente). Despeje o leite e 120 g de açúcar e deixe ferver por 5 minutos. “Exprema” a gelatina com as mãos para retirar o excesso de água e acrescente ao creme (preparado acima) fora do fogo, mexendo delicadamente.

Filtre a  preparação, passando por uma peneira e despeje em 6 forminhas (de inox, alumínio ou moldes de silicone) passadas debaixo de água fria, sem secar. Leve à geladeira por  12 horas. Enquanto  isso, coloque as frutas congeladas (guarde algumas para decoração) em uma panela com os 30 g de açúcar restantes e cozinhe por cerca de 10 minutos em fogo alto. Despeje em um bowl (tigela de preparo), deixe esfriar, acrescente o creme de cassis, misture, tampe e reserve.

Para desenformar a panna cotta, mergulhe as forminhas dentro de alguns instantes em bowl com água morna. Para servir, decore com as frutas reservadas e a calda (frutas maceradas) de acompanhamento. 


Buon appetito!

Panna cotta de frutos vermelhos
       


Fotos: reprodução
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...